Notícia

CONTROLADORIA

Controladoria Geral do Estado
Segunda, 27 Dezembro 2021 17:11
Avanço

CGE implanta Programa de Integridade e Compliance Destaque

Iniciativa busca aperfeiçoar ainda mais a estrutura administrativa do órgão.

CGE implanta Programa de Integridade e Compliance Roberta Cólen
Texto de Roberta Cólen

A Controladoria-geral do Estado de Alagoas lançou este mês o Programa de Integridade e Compliance (PIC), que busca, através de regras de conformidade, uma estrutura administrativa ainda mais adequada. 
 
A implantação do PIC parte de uma ininterrupta dedicação que a CGE tem em aperfeiçoar sua estrutura organizacional, sendo mais uma ferramenta que está de acordo com a lei e que possibilita a adoção de medidas preventivas e punitivas em casos de crimes, além de comportamentos antiéticos cometidos por seus servidores públicos. 
 
Inclusive, é justamente por conta disso, que o lançamento do Programa aconteceu em 9 de dezembro, data em que é celebrado o Dia Mundial de Combate à Corrupção.
 
O coordenador-geral do Núcleo de Integridade e Compliance da CGE, Pierre Chaves, explica que para sustentar essa administração íntegra e ética, o PIC trabalha em cima de 10 pilares fundamentais. 
 
Dentre esses pilares serão possíveis avaliar riscos, oferecer a inclusão e diversidade, impulsionar o controle interno, trabalhar a conduta de servidores, incentivar o uso dos canais de denúncia e fomentar a comunicação interna. Tudo isso com o respaldo da alta gestão da CGE. 
 
"A CGE é vocacionada a quebrar paradigmas. Instituir coisas novas é sempre mais difícil. Mas seria muito mais difícil se fosse outro órgão. Eu nunca vi um órgão tão plural, com pessoas tão envolvidas, tão dedicadas que sabem muito bem o que precisa ser feito para que se faça cumprir", afirmou o coordenador.
 
A titular da Controladoria, Adriana Andrade Araújo, tonifica a relevância deste momento para o órgão. 
 
"Implantar a gestão da integridade na CGE, em todas as áreas de atuação - correição, controles internos, gestão da ética, entre outros - é um processo que precisa ser bem coordenado porque favorece os servidores a tomarem decisões em função de critérios técnicos, e não com base em interesses particulares, aumentado a qualidade no desenvolvimento de suas atividades", destacou.